Pular para o conteúdo principal

Java x JavaScript: Semelhantes ou diferentes?!

Java vs JavaScript: Uma boa discussão!
Uma colega de trabalho encontrou um post no GUJ essa semana onde um dos integrantes fazia a seguinte comparação entre "Java" e "JavaScript":

Java:
  • compilada e interpretada
  • roda em servidores, desktops, notebooks, SISC e RISC
  • roda em browsers, celulares, PDAs, smartcards e microchips
  • API extremamente rica e extensa
  • orientada a objetos
  • diversão ao programar: comparável a ir a um parque temático

JavaScript:
  • interpretada
  • roda somente em browsers
  • API extremamente simples
  • baseada em objetos
  • diversão ao programar: comparável a comer uma sopa de jiló com rodelas de quiabo e fígado cru.

Achei interessante pelo fato de muita gente ainda confundir o Java com o Javascript. Apesar de ambos terem o nome iniciando igualmente, são muito diferentes.

Para quem quiser entender melhor a diferença entre as duas linguagens segue link explicativo da CriarWeb.com: http://www.criarweb.com/artigos/164.php.

Concordei com o amigo do fórum no quesito: "programar com Java é como ir a um parque temático", mais que isso. São inúmeras ferramentas, frameworks, plataformas e opções de desenvolvimento, e é considerada uma das linguagens que mais ferramentas tem.

Com uma API extremamente forte, constitui a maior comunidade de desenvolvimento do planeta. Multiplataforma, extensível e com atualizações de software e afins com grande frequência.

Em relação ao JavaScript, discordo do fato de ser simples, não é todo mundo que consegue compreender como utilizar regex (Apesar de ambas as linguagens implementarem a feature).

JavaScript também é orientada a objetos (fato omitido), mesmo 90% dos programadores a utilizando estruturalmente.

Por fim, a diversão de programar com JavaScript, para mim, também não se compara ao Java. Mas achei engraçada a comparação e os termos atribuídos à mesma! =)
-->

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como acessar um iframe e seus elementos via jQuery?

Recentemente tive  um problema no projeto pois sentiu a necessidade de acessar um valor de um input que estava dentro de um iframe. Esse tipo de situação não é tão comum, uma vez que geralmente acessamos os valores do iframe para fora. Para acessar, de dentro de um iframe, um valor externo, utilizamos o seguinte código: $('#idDoElementoExterno', parent.document).val(); Entretanto, nunca tínhamos passado pela situação contrária. Pesquisando um pouco descobrimos uma alternativa, porém em JavaScript. Para ficar melhor o entendimento, vamos simular uma situação aqui. Temos uma página html "A.html" e dentro da mesma existe um iframe que aponta (src) para uma página "B.html": <!-- A.html --> <html> <head> <title>Testando iframe - jQuery</title> <script language="JavaScript"> function exibeValor() { // alert aqui! } </script> </head> <body> <input typ

"Content is not allowed in prolog" - Entendendo exceção no Seam

Recentemente tive um problema de edição em um arquivo .xhtml utilizando JBoss Seam, Richfaces e afins. A princípio a mensagem de erro não dizia muito a respeito da causa do mesmo: com.sun.facelets.FaceletException: Error Parsing /consulta.xhtml: Error Traced[line: 1] Content is not allowed in prolog. "O conteúdo não é permitido no prólogo". Mas que conteúdo? Em qual prolog? Depois de dar uma pesquisada descobri que o erro acontece em vista de terem sido colocados alguns caraceteres inválidos antes da declaração de documento xml na página xhtml. Em outras palavras, a primeira coisa que deve constar em um documento xml (afins) deve ser: <?xml version="1.0" encoding="utf-8"?> Qualquer coisa antes disso, até mesmo um simples espaço em branco, pode gerar o erro em questão. Por fim, lembre-se de que a declaração de documento xml segue o padrão de encoding definido. Logo temos: <!-- Inc

Integrando Android e PayPal com Java e MySQL - Parte 2

Na primeira parte deste artigo, nós cobrimos toda a configuração inicial do ambiente, envolvendo principalmente o projeto Java Web com Restful, as bibliotecas e ferramentas envolvidas, bem como suas respectivas versões. Criamos também toda a comunicação com o banco de dados, o modelo Entidade-Relacionamento, o SQL gerado e as configurações da API do PayPal SDK para Java. Nessa parte, focaremos em finalizar a aplicação de modelo, principalmente no lado Android, testando tudo de forma local. Você poderá efetuar o download do código fonte diretamente do meu GitHub, no botão abaixo: DOWNLOAD CÓDIGO Na Figura 1 abaixo você pode visualizar como ficarão nossas telas ao final da implementação: Configurando o projeto Android Antes de criar o projeto, precisamos efetuar o download do PayPal Android SDK . Extraia os arquivos em uma pasta de preferência. Mais uma vez, você pode se sentir à vontade para usar o Eclipse Android Bundle ou o AndroidStudio para programar a parte Andr